Postagens

Mostrando postagens de outubro, 2021

Postagem em destaque

Alguns equívocos do Moses

Imagem
Este post tem por objetivo refletir sobre algumas declarações de João Luiz Santolin, presidente do Moses, durante um seminário promovido pelo Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM) em parceria com o Instituto de Estudos da Religião (ISER), conforme publicado no livro "Religião e Sexualidade: Convicções e Responsabilidades, organizado por Emerson Giumbelli, publicado pela Editora Garamond, 2005 (ISBN 8576170604, 9788576170600). De acordo com Santolin, o Moses foi fundado em 1997. Ele está certo. Ele só não disse que isso aconteceu durante a Parada Gay celebrada no Rio de Janeiro, no referido ano. Também não disse que éramos três: Santolin, Liane França e eu (quem tiver dúvida, consulte o jornal O Globo, publicado no dia seguinte ao da passeata, pois nossos nomes estão lá no último parágrafo da matéria de cobertura da Parada Gay). Obviamente, ele não disse, devido ao constrangimento causado pela entrevista que dei em novembro de 2004 à revista Época, na qu

Candomblé e pessoas LGBT

Imagem
  Candomblé e pessoas LGBT Por Sergio Viula Originalmente publicado no AASA Dando continuidade à serie de postagens sobre religião e sexodiversidade. O Candomblé é uma religião derivada do animismo africano onde se cultuam os orixás, voduns ou nkisis, dependendo da nação. O Candomblé tem mais de três milhões de seguidores em todo o mundo, sendo o Brasil o país em que conta com mais adeptos. Hoje em dia vemos os cultos a vários orixás numa mesma casa, mas esse é um fenômeno brasileiro, causado pela importação de escravos vindos de diferentes nações, pois cada nação africana praticava, originalmente, o culto a um único orixá. A figura do zelador de santo surge nas senzalas, sendo o homem chamado de babalorixá e a mulher de iyalorixá. O Candomblé, assim como outras religiões de matriz africana, era proibido pela Igreja Católica e perseguido pela polícia. Dava cadeia cultuar os orixás no Brasil. A  Revista de História  tem um artigo interessante e amplo sobre isso. Isso, porém, acabou favo

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SEXODIVERSIDADE

Imagem
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SEXODIVERSIDADE Por Sergio Viula Fundada por Charles Taze Russell em XXXXX, a religião conhecida como Testemunhas de Jeová é uma das mais totalitárias do mundo. Confundida por muitos com as igrejas evangélicas, a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, ligada ao Corpo Governante contava com mais de oito milhões e duzentos mil membros. No Brasil, são pouco mais que 700 mil seguidores e 11.562 Salões do Reino das Testemunhas de Jeová (seus templos) no mundo todo. Esses números são de 2014, ultima contagem publicada até o momento desse artigo. Entre suas crenças mais conhecidas e repudiadas estão a de não doar e nem receber sangue sob hipótese alguma e a de não participar da vida cívica do país em que estejam inseridas. Porem, muitas outras crenças são estranhas à maioria das comunidades ditas cristãs. As Testemunhas de Jeová não se consideram ‘evangélicas’ quando termo é aplicado a igrejas protestantes mais recentes e pentecostais, mas gostam de se denomina

Gays, travestis e transexuais no Budismo

Imagem
  Gays, travestis e transexuais no Budismo Por Sergio Viula Originalmente publicado no AASA Budismo, sexodiversidade e transgeneridade Devido à nossa familiaridade com os três monoteísmos mais influentes (judaísmo, cristianismo e islamismo), tendemos a pensar que outras religiões sejam indiferentes ou menos radicais para com a sexualidade humana, especialmente em seu aspecto diverso, bem como as variações de gênero. Esse, porém, é um pensamento equivocado. Na verdade, mesmo aquelas religiões menos beligerantes podem manter pressupostos – senão diretamente culpabilizadores e castradores – pelo menos redutores da beleza dessa diversidade e das alegrias que dela podem advir. Assim sendo, gostaria de pensar sobre o budismo na coluna desse domingo. É óbvio que os budistas, especialmente nesse ambiente que chamamos de Ocidente, tendem a ser mais discretos que os monoteístas citados anteriormente. Mas será que isso significa que sejam menos preconceituosos quanto à sexualidade humana, especia

Adventista fala com ex-pastor de cura gay

Imagem
Você pode ver os podcasts indicados nesse vídeo aqui: No Google podcast: https://podcasts.google.com/feed/aHR0... Para outras plataformas, visite o link tree do Jonathan e procure pelo programa O CONVITE na plataforma de sua preferência: https://linktr.ee/jonathanconvida Depois procure nessa ordem: convidei #16 : cura gay é uma farsa pt. 01 (convidado especial: sérgio viula) convidei #17 : cura gay é uma farsa pt. 02 (convidado especial: sérgio viula) Deixe seu comentário lá para que ele saiba o que você achou do bate-papo. Se quiser deixar um aqui também, ficarei feliz em lê-lo. Show your true colors! #OrgulhoLGBT 🏳️‍🌈

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia

Humorista 'Picolina' é encontrada morta dentro de casa em Fortaleza