Postagem em destaque

15 dias com Clara - essa fofura de 1 ano e 45 dias

Imagem
Por Sergio Viula Clara: Segundo dia de nascimento e com os olhinhos abertos Minha filha e meu genro haviam se tornado pais somente um ano e 45 dias antes de nos visitarem. Apesar da distância, acompanhamos tudo o que podíamos, graças às tecnologias da comunicação. Testemunhamos os nove meses de gravidez, a internação para o parto - que acabou sendo cesariana depois de muita espera e pouca dilatação -, o nascimento, o crescimento daquela bebezinha linda, que chegou mudando a vida de todos nós de muitas maneiras diferentes, e os primeiros passeios, a primeira viagem a uma cidade próxima (Évora) e os muitos dias que ela já passou na creche, aprendendo muitas coisas fantásticas de modo lúdico e com muito carinho das tias cuidadoras e educadoras. A tia da creche fazendo cookies com eles. Depois, todos comeram essas delícias feitas colaborativamente. Um video que eu fiz com fotos do Halloween na creche. Ela é a bruxinha mais fofa, concorda? Quem já segue esse blog há um tempo sabe que chegue

A vacina contra o HIV cada vez mais perto (Fiocruz)



Você pode clicar aqui também: 







Por Sergio Viula




Segundo a UNAIDS, a agência da ONU para a pesquisa e combate às infecções por HIV e tratamento de AIDS, "em todo o mundo, 37 milhões de pessoas vivem com HIV, o número mais alto da história, mas 25% dessas pessoas não sabem que vivem com o vírus."


Por isso, a testagem é fundamental. Quando o resultado é positivo, a pessoa é encaminhada para tratamento com retrovirais com objetivo de impedir o desenvolvimento da síndrome da imunodeficiência humana adquirida (AIDS). Lembrando que não há tratamento que elimine o vírus completamente do organismo até o presente momento, mas a medicação correta evita doenças e gera qualidade de vida para a pessoa HIV+. 


Tanto a busca por uma medicação que acabe com a infecção definitivamente quanto o desenvolvimento de uma vacina que previna o contágio são da mais fundamental importância. 


Nesse meio-tempo, graças aos retrovirais e às campanhas de prevenção, as mortes relacionadas à AIDS foram reduzidas em mais de 60% desde o pico em 2004, informa a UNAIDS. Mesmo assim, em 2019, cerca de 690.000 de pessoas morreram de doenças relacionadas à AIDS em todo o mundo, em comparação com 1,7 milhão em 2004 e 1,1 milhão em 2010.



COVID-19 E HIV


A UNAIDS alerta para um horizonte preocupante durante a pandemia deflagrada pelo Covid-19. Segundo, a agência, "modelagens estatísticas recentes estimam que uma interrupção completa de seis meses no tratamento do HIV pode levar a mais de 500.000 [471.000–673.000] mortes adicionais por doenças relacionadas à AIDS" no mundo todo, com alguns países sofrendo muito mais do que outros. 



Transmissão vertical (da gestante para o seu bebê)


A agência também informa que "se os serviços de prevenção da transmissão vertical do HIV fossem interrompidos por seis meses, o aumento estimado de novas infecções infantis pelo HIV seria de 162% no Malaui, 139% no Uganda, 106% no Zimbábue e 83% em Moçambique".




Você pode fazer a diferença










Por isso, a participação de voluntários para o desenvolvimento de uma vacina é tão urgente e importante. Se você deseja participar do trabalho que vem sendo realizado pela Fiocruz (tudo é feito com segurança e sigilo), basta se inscrever AQUI.




Mas não deixe de se prevenir. A própria Fiocruz dá as dicas:



Para evitar a transmissão da aids, recomenda-se o uso de preservativo durante as relações sexuais, a utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais, bem como testar previamente sangue e hemoderivados para transfusão. Além disso, as mães infectadas pelo vírus (HIV-positivas) devem usar antirretrovirais durante a gestação para prevenir a transmissão vertical e evitar amamentar seus filhos.




 

Comentários

  1. Quando clico para me inscrever vai para um site de como abrir seu blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei porque isso está acontecendo. Testei aqui e só apareceu a caixinha para eu escrever meu email, que é por onde se recebem as notificações de publicação. Você clicou em inscrever-se lá do lado do nome do blog, certo? Se puder tentar novamente... ^^ Abração.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Dia Internacional do Orgulho LGBT: Importantes apontamentos

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia