Postagem em destaque

Sobre "curas" e "terapias" para "correção" da orientação sexual e da identidade de gênero de pessoas LGBTI+ no Brasil

Imagem
  Por Sergio Viula Hoje, dia 30/06/21, recebi da All Out um convite para ler um relatório de pesquisa sobre as chamadas "terapias de conversão" (a famigerada "cura gay"). Esse trabalho é de um valor imenso, pois essas terapias são uma verdadeira violência contra a psiquê das vítimas. O relatório completo pode ser acessado aqui:  https://s3.amazonaws.com/s3.allout.org/images/All_Out_Instituto_Matizes_Relatorio_Completo_Entre_Curas_E_Terapias.pdf  Também na data de hoje, foi feito um painel com as pessoas que organizaram o relatório. Esse painel pode ser assistido aqui:  https://www.youtube.com/watch?v=DvGhjGrVKyE Não deixe de acessar essas informações. Elas são fundamentais para que a nossa capacitação e empoderamento contra essa série de violências contra a pessoa LGBT+, especialmente na infância e na adolescência.

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia

Zeus e Ganimedes





Por Sergio Viula


Zeus é conhecido, entre outras coisas, por sua impetuosa inclinação ao amor com humanas - coisa que sua divina esposa, Hera, não tolerava, especialmente quando essas relações geravam descendentes - filhos hibridamente constituídos pelo encontro entre seu divino marido e mulheres mortais. Porém, nem só de mulheres terrenas alimentava-se o desejo de Zeus. Ele também amou deusas e ninfas. 


Entretanto, nenhuma de suas paixões é tão celebrada até hoje como aquela que o senhor do Olimpo experimentou com um homem. O nome do "crush" divino era Ganimedes, filho de Tros, homem que deu à Tróia seu nome. Ganimedes era um príncipe de rara beleza e isso atraiu a atenção de Zeus. 


Ganimedes representava uma irresistível mistura de inocência e virilidade - seu rosto ainda imberbe e seu corpo perfeito eletrizaram o desejo do deus que controlava inclusive os raios, mas não podia resistir ao amor.  Numa tarde de primavera, enquanto o príncipe de Tróia desfilava despreocupadamente entre os rebanhos de seu pai, Zeus pensou rapidamente num estratagema para se aproximar de seu predileto.


O mais poderoso entre os olímpios transformou-se numa águia e foi pousar perto de seu favorito. Ganimedes, sem saber do que se tratava, aproximou-se da ave para acariciar sua plumagem, ao que foi subitamente envolvido e tomado pelas garras do esplêndido pássaro, sendo alçado por ele num voo colossau.


Dominado pelo desejo, Zeus não hesitou em possuir o jovem Ganimedes ali mesmo, em pleno voo, enquanto o conduzia até os domínios olímpicos - coisa que ele nunca havia feito com suas amantes terrenas. 


Chegando ao Olimpo, Ganimedes foi recebido com honrarias. Para surpresa de todos, não houve perseguição por parte da vingativa Hera, ainda que pudesse sentir-se enciúmada pela beleza do jovem.


Tirado definitivamente de seu habitat original, Ganimedes passou a ocupar a honrosa posição de servir o néctar aos deuses - tarefa que até então pertencera a Hebe, filha legítima de Zeus com Hera, e deusa da juventude.


A lenda do rapto de Ganimedes ilustra tanto a beleza quanto a licitude do amor entre um homem mais velho e um jovem - costume amplamente aceito entre os gregos. Platão utilizou essa lenda para justificar seu amor por seus discípulos. 


Ganimedes foi honrado pelos gregos como sendo a constelação de Aquário e pelos astrônomos modernos como uma das luas de Júpiter - deus romano equivalente ao grego Zeus.


O professor, pesquisador e escritor William Soares dos Santos honrou o amor entre Zeus e Ganimedes em seu livro RARO (Poemas de Eros). Leia o poema abaixo:





Encontre o livro na Livraria Travessa:



Outros livros de William Soares dos Santos:

POEMAS DA MEIA-NOITE (E DO MEIO-DIA)

RAREFEITO: POEMAS (1990-2014)

UM AMOR


LEIA TAMBÉM ESSA POSTAGEM:




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈