Postagem em destaque

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SEXODIVERSIDADE

Imagem
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SEXODIVERSIDADE Por Sergio Viula Fundada por Charles Taze Russell em XXXXX, a religião conhecida como Testemunhas de Jeová é uma das mais totalitárias do mundo. Confundida por muitos com as igrejas evangélicas, a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, ligada ao Corpo Governante contava com mais de oito milhões e duzentos mil membros. No Brasil, são pouco mais que 700 mil seguidores e 11.562 Salões do Reino das Testemunhas de Jeová (seus templos) no mundo todo. Esses números são de 2014, ultima contagem publicada até o momento desse artigo. Entre suas crenças mais conhecidas e repudiadas estão a de não doar e nem receber sangue sob hipótese alguma e a de não participar da vida cívica do país em que estejam inseridas. Porem, muitas outras crenças são estranhas à maioria das comunidades ditas cristãs. As Testemunhas de Jeová não se consideram ‘evangélicas’ quando termo é aplicado a igrejas protestantes mais recentes e pentecostais, mas gostam de se denomina

Alma imoral - imperdível filme baseado em texto de Nilton Bonder

Rabino Nilton Bonder, autor do livro que virou peça, filme e série de documentário



Por Sergio Viula

Era dia dos pais. Havíamos nos reunido, eu e Andre, com meu pai, minha mãe e meu filho para o almoço. Durante os preparativos, cedo de manhã, ouvimos a rádio JB anunciar o filme Alma imoral, baseado no livro do rabino Nilton Bonder e dirigido por Silvio Tendler, e não tivemos dúvidas - assistiríamos o lançamento naquele mesmo dia no Shopping Downtown, à noite. A sessão começava às 19:50. 

O almoço transcorreu normalmente e foi excelente. Pudemos incluir minha filha, graças a uma vídeo-conferência que, encurtando mais de 7 mil quilômetros de distância, colocou Larissa em nossa sala de jantar ao mesmo tempo que nos transportou a todos para o apartamento dela. No final da tarde, convidei meu filho Isaac para ir conosco (eu e Andre) ao cinema para assistirmos o filme de Nilton Bonder. Ele topou na hora. Era a sessão de estreia do filme. 

Foi unânime a nossa reação ao filme: deslumbrante, provocativo, rico em conhecimento, revolucionário! 

Aviso aos navegantes: o filme não é a peça filmada. Alma imoral esteve no teatro e foi um sucesso, mas o filme é absolutamente diverso, ainda que baseado no mesmo texto. 

Recomendo o filme sem reservas. Só alerto para o seguinte: não se precipite ao ver a abertura. Pode parecer que você terá apenas uma aula sobre narrativas míticas judaicas, mas não. O filme literalmente transcende à tradição judaica sem deixar de dialogar com ela. Ele vai muito além da repetição de tradições, apesar de tê-las como pano de fundo. Pessoas de qualquer tribo tirarão proveito dessa experiência de mergulho nas dinâmicas de nossa própria sobrevivência enquanto seres que ousam mudar.

Ao final da sessão, o rabino Nilton Bonder conversou com os interessados. Foi muito bom! A conversa se deu do lado de fora da sala de projeção porque uma segunda sessão começava imediatamente após a primeira, sem intervalo algum. Bonder é uma pessoa extremamente cativante, para dizer o mínimo. Pude dar um abraço nele e parabenizá-lo pelo trabalho quando pedimos licença para sairmos antes da reunião terminar. Já era bem tarde e estávamos longe de casa. 

Hoje, buscando mais informações na Internet para esse post, descobri que o Canal Cutra transformou a obra cinematográfica numa série com cinco episódios. Se você assina o canal, poderá assistir a série lá ou nesse endereço aqui: 
https://canalcurta.tv.br/series/serie.aspx?serieId=571




Se você é do Rio de Janeiro, não perca o filme no Shopping Downtown. Saiba mais aqui: 



*************************************






Alma Imoral
5 Episódios | Duração média dos eps. 52 min.

O documentário “Alma Imoral”, dirigido pelo cineasta Silvio Tendler, reflete sobre os conceitos de corpo e alma, tradição e transcendência, obediência e ruptura, através do livro “A Alma Imoral”, publicado pelo rabino Nilton Bonder. O filme questiona o que acontece quando o “corpo moral” - normalmente apontado como instrumento importante para a preservação da espécie humana - se torna estreito e passa a ser um obstáculo ao futuro da humanidade. Como se dá esse processo imoral de transcendência, de transgressão, para que fronteiras sejam ampliadas? Capaz de romper com os padrões e com a moral, a alma é o componente consciente da necessidade de evolução e resgata a verdadeira possibilidade de imortalidade. Vamos estabelecer pontes entre histórias de personagens da Bíblia que romperam com as tradições em busca de uma nova ordem - como Eva, Abraão, Moisés - e transgressores do nosso tempo em vários campos, como comportamento, ciência, política. Entrevistamos israelenses que lutam pela paz ao lado de palestinos, rabinos gays, cientistas que defendem teorias controversas, entre outras histórias que expandem as fronteiras da nossa consciência e produzem a possibilidade de evolução.




Ficha Técnica

Produção: Cynthia Lamas
Maycon Almeida 

Produção Executiva: Ana Rosa Tendler 

Empresa(s) produtora(s): Caliban Produções Cinematográficas 

Direção de Fotografia: Lúcio Kodato 

Mixagem: Deborah Colker 

Roteiro: Silvio Tendler 

Edição: Ricardo Moreira 

Direção de Arte: Renato Vilarouca
Rico Vilarouca 

Edição de som: Deborah Colker 

Narração: Bel Kutner
Júlia Lemmertz
Letí­cia Sabatella
Mateus Solano
Osmar Prado 

Assistente de Direção: Patricia Francisco
Vladimir Seixas 

Videografismo: Renato Vilarouca
Rico Vilarouca 

Pesquisa: Alessandra Schimite 

Entrevistados: Alejandro Téllez
Etgar Keret
Franz Krajcberg
Michael Lerner
Michael Meeropol
Noam Chomsky
Rebecca Goldstein
Robert Meeropol
Sami Awad
Susannah Heschel
Zalman Schachter-Shalomi 
Fotografia adicional: 
Maycon Almeida
Tao Burity
Vitor Foguel
Vladimir Seixas 

Argumento: Silvio Tendler 

Coordenação de Pós-Produção: Tao Burity 



Assista no canal CURTA: 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Eduardo Peret: Homenagem a um amigo que bateu asas e deixou saudades

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈