Postagem em destaque

LGBT no BBB 2022

Imagem
 Por Sergio Viula Você pode amar, odiar ou ser indiferente ao Big Brother Brasil (BBB), mas o que ninguém consegue é ficar totalmente alienado das tretas que explodem mais cedo ou mais tarde na casa mais vigiada do Brasil.  No ano passado, comemoramos a presença de muitos participantes negros no BBB. Porém, logo ficou nítido que a quantidade perdia a importância diante da qualidade dos comportamentos e das falas de alguns dos participantes. Karol Conka, Nego Di, Projota  e Lumena fizeram brasileiros de todas as cores se revoltarem em suas poltronas por causa de várias posturas reprováveis, especialmente pelo modo como agiram com outro negro - o jovem Lucas Penteado. O massacre psicológico feito contra o rapaz foi tão truculento que culminou em sua saída "voluntária" do programa.  Curiosamente, a gota d'água para Lucas foi a incompreensão de alguns dos participantes a respeito do beijo que ele e Gil - outro homem negro - trocaram durante uma festa na casa. As pessoas que m

2021: O pesadelo não acabou, mas já podemos sonhar



2021: O pesadelo não acabou,

mas já podemos sonhar



Por Sergio Viula



Já são praticamente três anos redondos usando máscaras, álcool gel e, finalmente, tomando as duas doses da vacina - tudo isso enquanto contamos os mortos e torcemos para esse pesadelo acabar.

A esperança, no tocante à vacina, se concretizou: Ela teve sua eficácia comprovada na prática. Basta verificar a vertiginosa queda no número de mortes - de 79.298 óbitos em março de 2021 (o pior mês até agora) para 6.894 em novembro de 2021, que foi o mês com menos óbitos desde abril de 2020 até o momento desse post.

Vale ressaltar que a maioria esmagadora das mortes que ainda estão sendo contabilizadas é de pessoas não vacinadas. Em 05 de dezembro, a CNN destacou que 8 em cada 10 mortos por Covid no Brasil não estavam vacinados. Ou seja, se estivessem vacinados, poderíamos ter reduzido o número de mortos para 20% do total.

Negar a eficácia da vacina e recusar-se a tomá-la é o maior atestado de burrice que alguém pode conferir a si mesmo. Na verdade, este pode ser apenas mais um passo para o atestado definitivo - o de óbito.


A fossa onde estamos mergulhados

Em meio a esse turbilhão, perdemos muitos e perdemos muito. Além dos CPFs cancelados, como disse o genocida com a faixa presidencial, tivemos muitos CNPJs cancelados também. Até julho de 2020, 716 mil empresas haviam fechado suas portas no Brasil por causa da pandemia. 

Se tomarmos somente estabelecimentos comercias com vínculo empregatício (somente lojas regulamentadas), os números são alarmantes. Os estados mais impactados foram São Paulo (20,30 mil lojas), Minas Gerais (9,55 mil) e Rio de Janeiro (6,04 mil).

Pessoalmente falando, nunca vi o Rio de Janeiro tão abandonado: lixo, violência, ruas inteiras que parecem ruas fantasmas - uma verdadeira vala a céu aberto - nem shopping center escapa.


Veja abaixo alguns dos casos recentes de assaltos e tiroteios dentro de shopping centers em todas as regiões da cidade. Para assistir a matéria, você precisa ter Globoplay.




Maior shopping do Rio (Barra Shopping)


Shopping na Zona Sul (Rio Sul)


Shopping da Zona Norte (Nova América)


Shopping na Zona Oeste



Esses não foram os únicos casos. Houve assaltos em outros shopping centers também. Entre eles, o Fashion Mall em São Conrado e o Via Parque na Barra. Todavia, esses são absolutamente suficientes para ilustrar o que digo quando chamo isso aqui de Rio de Nojeira.



Neonazistas do Rio tinham usina nuclear como alvo

E quando você acha que o Rio de Janeiro já chegou no fundo da fossa, eis que surge mais bosta...


Informação publicada por Eduardo Michels e compartilhada na minha timeline no Facebook.



E nós aqui?

Felizmente, aqui em casa, ninguém foi atingido pela Covid. Nosso cuidado foi extremo, principalmente antes das vacinas chegarem até nós.

Meus pais, meu filho, meu marido e eu estamos todos vacinados. Minha filha, que está fora do Brasil, também foi vacinada, junto com o marido dela, e ambos me deram o prazer de ser avô de uma das coisinhas mais lindas que já pisaram nesse planeta - a Clara. Ela iluminou o nosso monótono 2021 no dia 22 de outubro.

Clara completa dois meses de vida hoje, mas ontem fez sua segunda visita mensal ao pediatra. Resultado: Ms Sunshine está 4kg e 630gr, medindo 56 centímetros, e com ótima saúde! Também está cada dia mais lindinha - e beleza nunca é demais. ^^

Outra coisa importante é que tanto Andre como eu conseguimos manter nossos empregos. Eu trabalhei a maior parte do tempo na modalidade do ensino remoto, exceção para esse semestre (já com a vacina), quando tive um grupo presencial. Andre trabalhou presencialmente e com alto nível de risco por contato, mas se cuidou muito bem e não pegou nada até agora. Que continue assim.

Se por um lado conseguimos nos manter livres de Covid esse tempo todo, por outro, pegamos a nova cepa do vírus Influenza A - essa que é chamada de Darwin (H3N2). Quando digo "pegamos", eu me refiro a mim mesmo, meu pai e meu filho. Felizmente, tivemos sintomas leves, apesar de termos passado algumas horas de cama ao longo de dois ou três dias de sintomas mais intensos, mas nada grave. Outras pessoas não tiveram a mesma sorte: Elas foram internadas ou vieram a óbito.

Minha mãe e Andre não pegaram essa gripe até o momento desse post, mas é desalentador pensar que 2021 tenha que computar mais essa desgraça, como se não nos bastasse o governo genocida que suportamos há três anos agora.



Família em BH

Ao longo desse tempo todo, ficamos sem poder ver a família do Andre em Belo Horizonte, inclusive tendo que cancelar uma viagem que faríamos para lá com meus pais. Teria sido um momento muito especial testemunhar o encontro de todos, mas não foi possível.

Com o surgimento da variante Ômicron, infelizmente, não faremos viagem para lá por um tempo ainda.

Aliás, ninguém deveria viajar para festas de natal, réveillon ou carnaval enquanto não for realmente seguro. Portugal e Alemanha já decidiram impor restrições às festas desse final de ano.

Claro que mesmo sabendo que é preciso se isolar o quanto possível, não dá para evitar a tristeza de saber que cada dia que se vai é um dia que não volta, e que as pessoas que amamos não são eternas, assim como nós também não somos. Quando será que estaremos finalmente livres dessa pandemia, Santa Cher?



Ciência e tecnologia

De qualquer modo, as tecnologias de comunicação têm nos valido nesse longo período. Tendo em vista que reuniões marcadas por beijos e abraços estão vetadas, os comunicadores das redes sociais, as transmissões públicas ao vivo, as videoconferências privadas e outras formas de contato têm sido fundamentais. Não é exagero dizer que em tempos de pandemia, no tocante à comunicação, só a Internet salva.

Assim como as ciências da vida estão derrotando o vírus pouco a pouco, as ciências da computação e das telecomunicações estão reduzindo as distâncias entre aqueles que não podem se encontrar presencialmente e garantindo tanto a subsistência de que quem depende de um emprego formal como de quem depende de trabalho informal.



2022 vem aí!

O que esperar de 2022? 

Mais do que qualquer outra coisa, viver para acabar com o pesadelo de termos um genocida no poder, cercado por promotores da morte, e da mentira, e do caos. 

Que esse período de densas trevas seja finalmente estancado pela realização do sonho de termos um governo que trabalhe para promover ações concretas que façam avançar a justiça social, a preservação ambiental, os direitos da pessoa humana e de outros animais, o avanço científico-tecnológico sustentável e uma economia que possa bancar o crescimento do país tanto no nível humano como no nível institucional.

A esperança vencerá a morte e o atraso nas urnas. Argentina e Chile já o fizeram. Nós também o faremos. Talvez ainda tenhamos o mesmo zé povinho atrasado espalhado por esse país falando merda aqui e ali, mas não necessariamente dando as cartas nos grandes centros de poder e nem atrofiando as instituições democráticas desse país.

Viva para fazer parte dessa virada!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Eduardo Peret: Homenagem a um amigo que bateu asas e deixou saudades

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈