Postagem em destaque

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈

Imagem
Por Sergio Viula 1º DIA: 07/03/2021 Às vesperas do Dia Internacional da Mulher, minha filha me deu uma notícia que merece celebração e exige cuidados ao mesmo tempo.  Acordei por volta das nove horas da manhã com mensagens entrando, uma após a outra, no meu Instagram. Antes mesmo de ir ao banheiro fazer a higiene matutina, abri o comunicador e li o seguinte: "Você vai ser avô, mas ainda é segredo. Só conta para os meus pais e para o Isaac." A razão do segredo é que o teste para gravidez que ela havia feito era aqueles que se compram em farmácias. Ela queria contar para outras pessoas só depois do exame de sangue, que dá um resulado mais seguro. Claro que eu fiquei feliz e preocupado ao mesmo tempo. Daí, a frase que abriu esse diário lá em cima. É bom saber que Larissa e Vitor estão felizes com a perspectiva da maternidade e da paternidade. Por outro lado, ter um filho não é tão simples quanto muita gente imagina e nem como alguns pais e algumas mães tendem a falar sobre esse

Dia dos Namorados: O AMOR NÃO ESTÁ EM QUARENTENA ^^

Por Sergio Viula

Andre e eu em Gramado - carta no dia dos namorados (12/062020)



Ele se despediu antes de sair para o trabalho, como sempre o faz: com um carinho no meu rosto, ele me acordou suavemente só para me dar um beijo e desejar um bom dia. Andre sempre acorda mais cedo, bem cedo mesmo. Eu retribui ainda sonolento com um: "Bom dia, meu amor lindo." Embriagado pelo sono, não me dei conta que já era Dia dos Namorados. 

Uma hora depois, acordei para valer. Ainda na cama, enviei dois corações para ele pelo WhatsApp, mas, depois de terminar minha higiene matinal, fui ligar o computador para já adiantar o carregamento dos programas que eu utilizaria no trabalho. Faço isso geralmente antes de tomar café, porque logo depois, já posso sentar para trabalhar. Confesso que não tomo café em dias de muito trabalho. Hoje, adiei o café por um motivo mais gostoso: escrever esse post. ^^

Quando me dirigi ao computador, uma surpresa!

Encontrei uma carta escrita à mão (amo cartas escritas à mão!) e uma foto nossa em Gramado - a viagem que continua sendo nossa lembrança favorita de férias até hoje. Na foto, estamos abraçados e encasacados num frio matinal de 3ºC - sim, o paraíso existe e está cercado de lojas de chocolate. 

Li cada linha de sua missiva de amor com o coração aquecido. Uma das frases dele: "Dia dos Namorados hoje, mas eu só penso em quanta coisa já vivemos e ainda planejamos viver." 

Andre escreveu, talvez sem perceber, uma frase que coloca em pauta as três perspectivas básicas de tempo que estruturam toda a nossa noção de realidade e que dão as coordenadas para a construção de nossas mais singelas narrativas:

1. PRESENTE (Dia do Namorados hoje);
2. PASSADO (quanta coisa já vivemos);
3. FUTURO (e ainda planejamos viver). 

Alguém poderia dizer que "planejamos" está no presente do indicativo. Sim, mas não há noção de tempo que não tenha o presente como ponto de partida, bebê.  ^^  Seja o que lembramos (do passado), seja o que planejamos (para o futuro), tudo o que temos de fato é o hoje. É a partir desse hoje que Andre pode falar em quanta coisa já vivemos e no que planejamos viver adiante. 

E eu adoro ter você, Andre em todas essas perspectivas: ontem, hoje e amanhã!

Viver é, entre outras coisas, transformar planos em memórias no melhor das nossas capacidades. Estamos realmente acumulando lindas lembranças. 

Para ser bem exato, vivemos 1.587 dias juntos até hoje (07 de fevereiro de 2016 a 12 de junho de 2020). São quatro anos de memórias agora! A maioria delas alegre. E quando houve algum momento de tristeza, não por algum ato nosso, mas por alguma situação fortuita, como quando ele teve uma crise renal e foi operado, por exemplo, lá estávamos - JUNTOS! 

Uma simples busca aqui no blog pelas palavras-chave "andre e sergio" já dá uma ideia do que quero dizer. Veja aqui.

Ainda dominado pela surpresa do bilhete com a foto, enviei uma mensagem de agradecimento pelo WhatsApp, dizendo, entre outras coisas, o seguinte: "A nossa vida vais ser regada de coisas bonitas e inesquecíveis, mesmo que elas não aconteçam na mesma proporção todo dia porque nós não temos dinheiro para tanto. Mas, nós sabemos ser felizes até em coisas simples como degustar uma pizza no terraço." 

Detalhe: ontem pedimos uma pizza e nos sentamos no terraço ouvindo música juntos e conversando sobre várias coisas. Por ter sido feriado de Corpus Christi, passamos o dia todo juntos. A geladeira havia sido consertada no dia anterior. Então, fizemos nossa aula de inglês logo de manhã, almoçamos, e eu escrevi um post para o blog logo em seguida. Depois disso, lavamos a geladeira e arrumamos a cozinha. O momento pizza com Coca-Cola veio no final do dia. Não houve nada de grandioso em nosso feriado de Corpus Christi, mas nem precisava, porque tudo ganha vida quando estamos juntos!

Se é possível ser feliz sozinho? 

Sim, e disso não tenho dúvida. Mas que é mais gostoso vivenciar essa fecilicidade a dois, isso é inegável. 

É fácil encontrar alguém que seja o nosso "número"? 

Não, especialmente porque os dois têm que ser o número um do outro. Não basta apenas um encontrar o que deseja. Tem que ser recíproco.

E o que é fundamental para uma boa relação?

Essa semana, eu falava com um amigo sobre isso. Eu dizia que considero três coisas fundamentais para que um relacionamento seja frutífero e prazeiroso: CARÁTER (especialmente, honestidade), MATURIDADE e TESÃO. Se faltar uma só dessas características a qualquer um dos envolvidos, a roda não gira suavemente. Talvez, não gire de modo algum. Felizmente, Andre e eu temos esses e outros ingredientes em nosso relacionamento. Um dos principais deles é  compromisso que cada um tem com o bem-estar do outro. Sempre fazemos tudo pensando em como isso pode facilitar a vida do outro ou tornar algum momento mais especial, mesmo que seja o simples ato de recolher a roupa do outro e guardá-la com carinho. E é essa atitude já incorporada ao nosso cotidiano que faz toda a diferença. Egoístas narcisitas nunca foram bons amantes, muito menos bons parceiros de jornada.

E o que eu faço se não ainda não encontrei o Amor?

Enquanto não esbarrar com aquela pessoa que mereça todo o seu amor e compromisso, divirta-se com as que desejam diversão. Dois adultos passando tempo juntos por livre e espontânea vontade, fazendo o que desejam em mútuo consentimento já é lucro. 

Eu semrpe digo: enquanto você não encontrar a boca certa, vai beijando as erradas mesmo. Só não pise e nem aceite ser pisado. É no encontro que pode acontecer a 'magia' do amor. 

Feliz Dia dos atingidos pelas flechas de Eros!

O que mais dizer sobre o dia de hoje? Só posso desejar um feliz dia dos namorados, das namoradas, do namorado e da namorada, des namorades!

Seja qual for o gênero dos envolvidos, que toda relação seja benfazeja, porque o amor não faz mal nem a quem ama nem a quem é amado. Se fizer, isso não é amor. E se não é amor, essa relação não promoverá respeito e bem-estar aos seres humanos envolvidos nela. Nesse caso, faça cumprir o ditado: antes só do que mal acompanhado. 

Felizmente, há mais de quatro anos, estou em excelente companhia. E ele diz o mesmo. Em sua carta de amor, Andre escreveu: "Seu sorriso me traz paz, seu sorriso me alegra, seu sorriso me acalma." Observe: paz, alegria e calma. Cazuza cantava: Eu quero a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida, nós no embalo da rede, matando a sede na saliva, ser teu pão, ser tua comida, todo amor que houver nessa vida. Eu respondo a esse lindo e saudoso poeta: Eu tive essa sorte.

Para finalizar, eu pergunto a você que me lê: É preciso muita coisa para ser feliz? 

Os felizes sabem que não. 


Comentários

  1. Parabéns a casal muitos passados felizes no seu futuro, lindos presentes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Meire. Você é uma pessoa formidável! Beijos para vc e sua linda família.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Corpus Christi: Vestra frui corporum (Aproveitai vossos corpos)

Entrevista: Conheça Cris Lacerda e sua história de superação