Postagem em destaque

Parada SP ao Vivo: Flashes do evento

Imagem
Pablo Vittar se apresentou na Parada de São Paulo ao Vivo A atração foi trazida pela TIM Por Sergio Viula A Parada da Diversidade de São Paulo cresce a cada ano, inclusive quando realizada virtualmente. De 2018, quando começaram as transmissões simultâneas com a parada na rua, trabalho realizado pela Dia Estúdio, liderada por Rafa Dias, até esse ano de pandemia (2021), o evento experimentou um crescimento estratosférico! Transmitido simultaneamente por 13 canais de peso e patrocinado por gigantes do mundo empresarial (Accor, Amstel, Avon, Bradesco, British Council, Burger King, Doritos, Jean Paul Gaultier, Mercado Livre, Smirnoff e TIM), o evento durou mais de 9 horas , começando às 14h de ontem (domingo). A line-up do evento contou com LINE UP: Alberto Pereira Jr., Bielo Pereira, Dindry Buck, Diva Depressão, Fefito, Gloria Groove, Jean Luca, Katu Mirim, Léo Viturinno, Lia Clark, Linn da Quebrada,  Lorelay Fox, Louie Ponto, Lucas Raniel, Majur, Mandy Candy, Marcia Pantera, Maria Gadú,

Não precisa ser um gênio...


 


Hoje (17/05), celebra-se o Dia Internacional de Combate à Homofobia, que, na verdade, visa a combater todo o tipo de preconceito por orientação sexual ou identidade de gênero que geralmente atingem a comunidade LGBTQIA+ em alguma medida.


O Brasil já deu passos muito importantes na direção da eliminação do preconceito e da discriminação LGBTfóbica, apesar de ainda haver muito trabalho a ser feito, especialmente na inclusão de pessoas travestis e transexuais no mercado de trabalho, só para citar uma das metas mais urgentes. 


A pior homofobia é a de casa


Nesse exato momento, crianças e adolescentes estão sofrendo algum ataque LGBTfóbico, seja na família, na escola, no seu círculo religioso ou na sua vizinhança. Se você é LGBT, você sabe exatamente do que estou falando. 


É preciso que a homofobia seja eliminada dentro de casa mais do que em qualquer outro lugar, mas é possível que aquela criança LGBT cresça sem jamais ver sua família evoluir para fora dessa mentalidade ignorante e mesquinha. 


Muitas pessoas, especialmente, homens gays, me procuram nas minhas redes sociais para desabafar sobre isso. Meu conselho é o seguinte: arrume um emprego, poupe algum dinheiro, alugue qualquer cantinho e vá morar por conta própria. Se sua família mudar de atitude e passar a respeitar você como você merece, ótimo - será possível haver amizade a harmonia. Se isso não acontecer, siga sua vida e construa sua própria família, do seu jeito e com o amor incondicional que você sempre quis receber, mas não conseguiu.


Conversar com um psicólogo ou uma psicóloga preparado para lidar com questões que são atravessadas pelo preconceito LGBTfóbico é muito importante. A Universidade Federal de Santa Catarina oferece esse serviço gratuitamente. Saiba mais aqui: 

https://noticias.ufsc.br/2021/02/incricoes-abertas-para-grupos-de-escuta-e-acolhimento-a-pessoas-lgbt/


Hoje, fiz um vídeo exatamente sobre isso. Esse bate-papo foi motivado por uma conversa travada com um amigo no domingo passado. Você poderá assistir o vídeo aqui: 


Inscreva-se lá no canal. 

Seja muito bem-vindo, bem-vinda ou bem-vinde!


Combata a homofobia em seu reduto mais disfarçado: dentro de si mesmo. Não aceite os cabrestos que a família, a religião e a sociedade mais ampla - todas heteronormativas - colocaram em você desde cedo. Vá viver, porque a vida passa rápido.



Fiz mais um aniversário há dois sábados (08/05).
Sabe de onde veio esse bolo lindo?

Dos meus alunos de sábado de manhã, acreditam?


Liberdade é isso: Ser você mesmo e cercar-se de gente que curte o teu jeito de ser. 

E quem não gostar sempre pode mudar de canal. 🤣🤣🤣🤣



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eduardo Peret: Homenagem a um amigo que bateu asas e deixou saudades

A homossexualidade no Egito antigo

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈