Postagem em destaque

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈

Imagem
Por Sergio Viula 1º DIA: 07/03/2021 Às vesperas do Dia Internacional da Mulher, minha filha me deu uma notícia que merece celebração e exige cuidados ao mesmo tempo.  Acordei por volta das nove horas da manhã com mensagens entrando, uma após a outra, no meu Instagram. Antes mesmo de ir ao banheiro fazer a higiene matutina, abri o comunicador e li o seguinte: "Você vai ser avô, mas ainda é segredo. Só conta para os meus pais e para o Isaac." A razão do segredo é que o teste para gravidez que ela havia feito era aqueles que se compram em farmácias. Ela queria contar para outras pessoas só depois do exame de sangue, que dá um resulado mais seguro. Claro que eu fiquei feliz e preocupado ao mesmo tempo. Daí, a frase que abriu esse diário lá em cima. É bom saber que Larissa e Vitor estão felizes com a perspectiva da maternidade e da paternidade. Por outro lado, ter um filho não é tão simples quanto muita gente imagina e nem como alguns pais e algumas mães tendem a falar sobre esse

19ª Parada LGBT de Belo Horizonte: Nós fomos e vimos de perto: LINDA!

Por Sergio Viula


 


Andre e eu saímos do Rio no sábado, às 10:15, num voo antecipado, graças à eficiência da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, que disponibiliza um aplicativo que permite a antecipação, caso haja vagas, com até seis horas de antecedência do voo original. 

Embarcamos e decolamos pontualmente do Santos Dumont, chegando ao aeroporto de Confins adiantados em quase 10 minutos - o que, para um voo que leva 1 hora, é bastante significativo. Fomos direto para o Bristol Merit, onde deixamos nossas coisas (as poucas que levamos) e seguimos para encontrar a família de Andre. Foram momentos maravilhosos como da outra vez - talvez até mais!!! ^^

No retorno, chegamos muito tarde ao hotel. Ônibus de Contagem - onde eles moram - para BH depois das 10:00 num sábado é um parto, mas fomos guerreiros (risos). Despencamos na cama e só descemos para o café na manhã no domingo (quase perdemos a hora). 

O café estava fantástico, cheio de opções. Aliás o serviço do Bristol Merit é simpático e muito cordial.

Logo em seguida, fizemos check-out. Na verdade, ao meio-dia em ponto, com destino à 19ª Parada LGBT de BH, que foi simplesmente lacradora, fechativa, libertária, politizada e festiva com toda a competência de drag queens e dançarinos que se revezaram com ativistas e até representantes do governo estadual no palco da concentração. 

O Governo de Minas havia publicado um vídeo no Youtube sobre pessoas trans e seus direitos, falando sobre o fim do preconceito, que viralizou em menos de 24 horas. Até a ONU republicou o vídeo em seu site oficial em português.

O trajeto foi pacífico e festivo. Andre e eu fomos fotografados com a bandeira do arco-íris e uma mensagem de duplo sentido: Amar sem Temer!!! A foto foi publicada em duas matérias do Jornal Hoje em Dia: Tom político toma conta da 19ª Parada do Orgulho LGBT de BH  e  Milhares de simpatizantes celebram a 19ª Parada do Orgulho LGBT de BH

Encontramos vários amigos do Andre e alguns amigos meus também. Foi tão bom abraçá-los e conversar com eles que voltamos com saudades.







Às 18:30, saímos da Parada, que já estava se encaminhando para a finalização e dispersão. Só nesse momento, vimos alguma confusão de uns "pentelhos do inferno" que tentaram roubar algumas pessoas, mas a Drag Queen que estava conduzindo a multidão no primeiro carro, a Nayla Brizard, deu o alerta para  a polícia, que agiu rapidamente. Nada mais grave aconteceu até o momento que deixamos de ouvir o barulho dos carros, já a caminho da rodoviária para tomarmos um ônibus para Confins, onde tomaríamos o avião para o Rio.

A ida foi pela companhia Azul e a volta pela Gol. Realmente, a Gol precisa fazer uns investimentos. A Azul está dando um banho. Até monitores de TV com programação a cabo variada e música em várias estações, a Azul ofereceu. E o lanche, que não é lá grande coisa também, pelo menos incluía refrigerantes e sucos, além de saquinhos de salgadinhos ou bolinhos. Enquanto isso, a Gol só ofereceu água mineral sem gás e um pacote quase microscópico com uns biscoitos totalmente sem gosto. 

Assim que chegamos em casa, abrimos uma garrafa de vinho para comemorar o sucesso da viagem. Tínhamos tanta coisa boa para lembrar que não deu tempo para falar de tudo. Mas nada como voltar ao ninho por melhor que tenta sido o voo. ^^

Um abraço a todos mineiros e mineiras que fizeram BH tremer para melhor. Parabéns, CELLOS-MG, organizador da Parada de BH. Parabéns, organizadores, voluntários e participantes. Parabéns, governo de Minas, pelo apoio. A luta continua!








As pessoas trans dominaram o cenário. Não foram apenas
mencionadas ou lembradas. Protagonizaram a Parada LGBT de BH
de cima do palco e do chão. Pela primeira vez, uma bandeira trans
de 40 metros, toda costurada por uma senhora trans, foi estendida
na avenida, à frente da bandeira do arco-íris.



Comentários

  1. Foi muito bom ver pessoas especiais iguais a vocês, a qual eu não imaginava poder conhecer tão cedo.
    Ameii profundamente encontra-los. Felicidades sempre, e Sérgio, arrasou como sempre na matéria do blog.
    Bjus Patrick.

    ResponderExcluir
  2. Que legal, Patrick. Eu também senti o mesmo. Obrigado pelo comentário carinhoso. Vc é um querido. Beijos meus e do Andre.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Corpus Christi: Vestra frui corporum (Aproveitai vossos corpos)

Entrevista: Conheça Cris Lacerda e sua história de superação