Postagem em destaque

15 dias com Clara - essa fofura de 1 ano e 45 dias

Imagem
Por Sergio Viula Clara: Segundo dia de nascimento e com os olhinhos abertos Minha filha e meu genro haviam se tornado pais somente um ano e 45 dias antes de nos visitarem. Apesar da distância, acompanhamos tudo o que podíamos, graças às tecnologias da comunicação. Testemunhamos os nove meses de gravidez, a internação para o parto - que acabou sendo cesariana depois de muita espera e pouca dilatação -, o nascimento, o crescimento daquela bebezinha linda, que chegou mudando a vida de todos nós de muitas maneiras diferentes, e os primeiros passeios, a primeira viagem a uma cidade próxima (Évora) e os muitos dias que ela já passou na creche, aprendendo muitas coisas fantásticas de modo lúdico e com muito carinho das tias cuidadoras e educadoras. A tia da creche fazendo cookies com eles. Depois, todos comeram essas delícias feitas colaborativamente. Um video que eu fiz com fotos do Halloween na creche. Ela é a bruxinha mais fofa, concorda? Quem já segue esse blog há um tempo sabe que chegue

Primeiro ano de casados.

Por Sergio Viula




Escrevo esse post no dia 27 de março de 2017. É segunda-feira - um dia que desanima a maioria das pessoas, mas que também é o começo de um novo ciclo semanal para os que têm a sorte de não trabalhar domingo. 

Você deve estar se perguntando o que torna esse dia especial para mim, então.

É que nesse 'nesse dia' ano passado (nenhum dia é igual a outro, na verdade), eu e Andre curtíamos nosso primeiro domingo casados. Ele chegou na sexta-feira, dia 25, e tivemos um final de semana maravilhoso! Finalmente, a saudade que sentíamos pela distância em que nos encontrávamos - ele em Belo Horizonte e eu no Rio - havia sido aplacada.

De lá para cá, temos vivido dias maravilhosos juntos, apesar de nossa luta ser a de todo brasileiro: Sobreviver num país de incertezas e de mesquinha exploração da classe trabalhadora por parte de governos e empresários corruptos e egoístas. Mas, como diz o ditado, a união faz a força. De fato, fazemos muitos mais juntos do que se estivéssemos separados.

Ao longo desse ano, Andre conseguiu emprego, eu terminei o mestrado, ele se entrosou muito bem com a minha família, e eu com a família dele, aproveitamos nosso tempo livre de muitas maneiras, militamos em prol de direitos LGBT e contra os golpes que vêm sendo impetrados, um após o outro, contra o povo brasileiro, geralmente em nome de uma suposta superação da crise, que nada mais é do que pretexto para sucateamento dos serviços públicos. A UERJ que o diga. Mas, não é só ela. Ela é apenas um dos mais visíveis e gritantes exemplos do que a corrupção de agentes públicos pode fazer contra o povo e seu patrimônio. 

Um breve panorama do que 'aprontamos' no último ano pode ser visto nos links que seguem esse post. Confira.

Hoje, antes de sentar para escrever, fiz café para ele. Como sempre saio para trabalhar mais tarde, e posso usar esse tempo para adiantar alguma coisa enquanto ele toma banho, faz a barba e se arruma, preparei café e dois sanduíches de queijo branco na chapa. Singelo, mas suficiente. Conversamos entre a vontade de voltarmos para a cama e a necessidade de trabalhar. Comentamos sobre o dia de ontem, de hoje e sobre nós mesmos. Tudo muito simples, mas sempre especial quando estamos juntos. E quem diria? Um ano se passou desde que juntamos nossas escovinhas de dentes. ^^  


Vivemos muitos momentos memoráveis até aqui. A vida, porém, é muito mais do que badalação, ela é também sentar no sofá e comer pipoca, deitar na cama e conversar até pegar no sono, mas também tem seu lado chatinho: Fazer faxina em casa, lavar louça, colocar roupa na máquina e esperar para estender uma por uma no varal... Sim, a vida de todos os mortais pode variar aqui e ali, mas é basicamente a mesma. A diferença está na felicidade que sentimos em ser quem somos e viver como vivemos - e isso inclui quem amamos e como vivemos esse amor. 

Por enquanto, é só. Mas, a gente vai registrando o que for vivendo e vai compartilhando. É preciso falar de amor. O mundo já tem ódio demais.

Desejo uma ótima semana para todos, todas e todes! ^^

Um beijo especial para Andre, que me faz (ainda mais) feliz.

Comentários

  1. Eu só posso agradecer pela generosidade de vocês de ao longo desse ano terem compartilhado esse amor conosco. Eu sou meio bronca para essas coisa, mas, acompanhando a história de vocês aprendi mais um pouco sobre o real significado do amor. Por isso, sem nenhum pudor digo que amo vocês dois. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cecília, sua linda, é recíproco. Nós também amamos você e aprendemos muito contigo. Obrigado por sua amizade.

      Beijos coloridos,
      Sergio

      Excluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Dia Internacional do Orgulho LGBT: Importantes apontamentos

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia