Postagem em destaque

Heartstopper: Uma série que inspira e encanta

Imagem
Kit Connor e Joe Locke fazem o papel de Nick Nelson e Charlie Spring,  respectivamente, em Heartstopper. (Netflix) Por Sergio Viula Com informações do portal Pink News Já se passaram seis anos desde que Alice Oseman escreveu sua webcomic (quadrinhos para a Internet). Os quadrinhos foram muitíssimo bem recebidos. Agora, Heartstopper chega à Netflix e já figura entre os produtos mais assistidos do streaming. Heartstopper conta a história de Charlie (Joe Locke), um adolescente gay que vive completamente fora do armário, e que se apaixona por Nick (Kit Connor), um jogador de rugby em sua escola. Charlie é gay. Nick é bissexual. Elle é transexual negra e apaixonada por Tao Xu, que é asiático-americano. Tara e Darcy são duas garotas cisgêneras e formam um casal interracial. E, por fim, existe o Ben, que é gay enrustido e mal resolvido, mas vive dando em cima de Charlie em segredo. Eu assisti tudo nesse feriado de Tiradentes e adorei! Assista a série aqui: HEARTSOPPER - NETFLIX . Trailer ofic

Bixa Travesty: Filme com Linn da Quebrada



Por Sergio Viula


Acabamos de assistir Bixa Travesty, um filme com Linn da Quebrada, no Espaço de Cinema Itaú, que fica em frente à praia de Botafogo, Rio de Janeiro. O cinema só projeta o filme uma vez por dia, sempre na sessão das 22h. A entrada é baratíssima: 12 reais a inteira e 6 reais a meia. Os preços desse cinema nunca são menores que 30 reais para inteiras. Quem tem cartão Itaú, independentemente da idade, paga meia. Então, aproveite!

O filme é mais do que ousado. Linn e outros personagens que aparecem no filme fazem do corpo uma revolução, e da própria vida transcendência. Ela e eles querem trans-cender os papéis atribuídos ao masculino e ao feminino. Querem embaralhar, não definir ou reforçar estereótipos. 

Não há zonas proibidas em sua corporalidade. Lynn mostra tudo, mas nunca gratuita ou fortuitamente. Sua rotina é imersa em tensões, superações, re-invenções, trans-formações de si mesma em ambientes onde o machismo, a transfobia, a homofobia e a precariedade econômica parecem se perpetuar contando com a cumplicidade do conformismo por parte dos envolvidos. Linn é inconformada, mas não ressentida. Sua prórpia existência se dá no enfrentamento de tudo isso.

Recomendo sem reservas, mas alerto: não é uma obra feita para vender. É um manifesto feito para subverter aquilo que castra, oprime e reduz o eterno devir do humano, sempre múltiplo, a uma identidade cristalizada.

Compre seu ingresso no Rio de Janeiro aqui: https://www.ingresso.com/rio-de-janeiro/home/filmes/bixa-travesty#!#data=20191124 Para conferir se está em outras cidades, basta mudar a localização aí mesmo nesse site. 


Assista o trailer e não perca. Bixa Travesty não ficará em cartaz por muito tempo.




P.S.: Foi um prazer assistir esse filme por indicação de nossos amigos Eduardo Michels e Flavio Micelli. 

Sergio Viula e Andre Dias (esquerda)
Eduardo Michels e Flavio Micelli (direita)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia