Postagem em destaque

Mãe de Paulo Gustavo faz 74 anos e fala com Ana Maria Braga

Imagem
17 de setembro de 2021 Por Sergio Viula Interrompendo aqui a nossa série sobre religião e diversidade sexual, gostaria de incentivar você a assistir essa entrevista maravilhosa feita por Ana Maria Braga com Dona Déa Lúcia, a mãe do querido Paulo Gustavo, falecido há quatro meses. Hoje, é aniversário dela - 74 anos - e Dona Déa deu um show de amor e de sabedoria durante toda a entrevista. Você vai se emocionar, aprender, crescer e se tornar melhor como ser humano se aplicar o que ela falou aqui sobre uma das coisas mais importantes para o indivíduo - a família, especialmente quando se trata de filho ou filha LGBT+. Não deixe de ver. É logo no começo do programa. Depois que a Ana Maria faz a abertura com suas mensagens típicas de encorajamento, ela já passa para a abertura da entrevista com cenas de Paulo Gustavo trabalhando como Dona Hermínia. Imperdível! Assista aqui:  https://globoplay.globo.com/v/9867337/programa/?s=0s Parabéns pelo seu aniversário e pela mulher fantástica que você é

Joe Biden: Crescimento do autoritarismo no cenário global ameaça os direitos LGBTQ

Joe Biden - presidente dos Estados Unidos



 By Sergio Viula


Joe Biden: Crescimento do autoritarismo no cenário global ameaça os direitos LGBTQ


Em todo o mundo, cerca de 70 países ainda criminalizam as relações entre pessoas do mesmo sexo. E aqui em casa, LGBTQI + americanos ainda carecem de proteção básica em 25 estados e continuam a enfrentar discriminação em habitação, educação e serviços públicos. (Joe Biden)


Essa foi a tônica da fala do presidente dos EUA Joe Biden no Dia de Combate à LGBTfobia. Biden criticou governos autoritários, atribuindo a eles, bem como à pandemia de coronavírus, o aumento da vulnerabilidade das pessoas LGBT+ ao redor do mundo. Ele também destacou o que vem fazendo para garantir os direitos das pessoas LGBT+ no país que preside desde o começo desse ano, quando sua administração foi inaugurada. 


Veja o pronunciamento de Biden feito em 17/05/21 na íntegra, abaixo:


Por Joe Biden - 17/05/21

Jill e eu temos o orgulho de reconhecer o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia - o aniversário desse dia, quando, em 1990, a Organização Mundial da Saúde deu o passo longamente esperado de desclassificar a "homossexualidade" como um transtorno mental.


Muita coisa mudou para a comunidade LGBTQI + desde aquele dia,  não apenas em nossas leis, mas nos corações e mentes do povo americano. Ativistas corajosos na América e em todo o mundo defenderam o progresso e venceram. Aqui em casa, a igualdade no casamento e maiores proteções contra crimes de ódio são a lei do país. No exterior, governos estrangeiros, sociedades civis e organizações internacionais como as Nações Unidas finalmente reconhecem que as pessoas LGBTQI + merecem dignidade e igualdade plenas.


Apesar desse progresso, o COVID-19 e o crescente autoritarismo em todo o mundo continuam a aumentar as brechas econômicas, sociais e de segurança para pessoas LGBTQI + e uma epidemia de violência ainda grassa, com um impacto particular sobre a comunidade transgênera, especificamente mulheres e meninas transgêneras de cor. Em todo o mundo, cerca de 70 países ainda criminalizam as relações entre pessoas do mesmo sexo. E aqui em casa, LGBTQI + americanos ainda carecem de proteção básica em 25 estados e continuam a enfrentar discriminação em habitação, educação e serviços públicos.


Minha administração sempre estará com a comunidade LGBTQI +. Já revertemos as políticas discriminatórias que visavam LGBTQI + americanos e marcamos nomeações históricas de indivíduos LGBTQI + para os mais altos escalões de nosso governo. Continuamos a implementar minhas ordens executivas para promover a igualdade e a equidade. E continuo a instar o Congresso a aprovar a Lei da Igualdade, que confirmaria as proteções críticas dos direitos civis com base na orientação sexual e identidade de gênero para todos os americanos.


Todos têm direito à dignidade e igualdade, não importa quem sejam, a quem amem ou como se identifiquem - e continuaremos a nos envolver com aliados e parceiros para fazer avançar os direitos humanos das pessoas LGBTQI + aqui em casa e em todos os cantos do mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Eduardo Peret: Homenagem a um amigo que bateu asas e deixou saudades

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈