Postagem em destaque

Alguns equívocos do Moses

Imagem
Este post tem por objetivo refletir sobre algumas declarações de João Luiz Santolin, presidente do Moses, durante um seminário promovido pelo Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM) em parceria com o Instituto de Estudos da Religião (ISER), conforme publicado no livro "Religião e Sexualidade: Convicções e Responsabilidades, organizado por Emerson Giumbelli, publicado pela Editora Garamond, 2005 (ISBN 8576170604, 9788576170600). De acordo com Santolin, o Moses foi fundado em 1997. Ele está certo. Ele só não disse que isso aconteceu durante a Parada Gay celebrada no Rio de Janeiro, no referido ano. Também não disse que éramos três: Santolin, Liane França e eu (quem tiver dúvida, consulte o jornal O Globo, publicado no dia seguinte ao da passeata, pois nossos nomes estão lá no último parágrafo da matéria de cobertura da Parada Gay). Obviamente, ele não disse, devido ao constrangimento causado pela entrevista que dei em novembro de 2004 à revista Época, na qu

A guerra da Rússia contra a Ucrânia e a hipocrisia dos que não condenam as ações de Putin

 

A invasão russa já dura quase um ano e três meses



Por Sergio Viula

24 de abril de 2023


Quando eu condeno Vladimir Putin  pela invasão à Ucrânia e seus crimes de guerra, costumo ouvir muito chororô por parte das viúvas de Stalin, outro genocida que matou diretamente ou levou à morte milhões de habitantes da falecida Uniâo das Repúblicas Socialistas Soviéticas.  Não eram unidas, não se comportavam como repúblcias, nunca foram socialistas no sentido real do termo e nem se enquadravam como soviéticas literalmente, porque "sovietes" era o nome dado aos conselhos de trabalhadores originados na Rússia, que foram incorporados como funcionários do governo, perdendo a capacidade de se opor a ele sob qualquer circunstância. Os sovietes perderam sua função original, tornando-se parte da engrenagem ditatorial estatal. Marx deve ter batido cabelo dentro do túmulo de decepção e indignação com tudo isso. 

Fato é que, geralmente, essas nostálgicas amantes de ditadores assassinos de seu próprio povo, como foram Stalin e agora Putin, que também mata um povo vizinho, independente e pacífico, falam muito sobre os americanos quando me ouvem condenar tais crimes, como se eu não condenasse igualmente as desgraças que os EUA já fizeram e ainda fazem por aí. O que mais me diverte na tolice das colocações que fazem tentando minimizar o que jamais poderá ser justificado ou normalizado, especialmente no tocante à invasão da Ucrânia, é que esses desafetos dos dos EUA não deixam de comprar, nem mesmo por um dia sequer, os produtos que financiam os imperialistas do lado de cá do meridiano de Greenwich. 

Explico: 

Uma das maiores violências que os EUA e parte da Europa cometem é despejarem incessantemente o lixo produzido pelas indústrias de alimentos, de fármacos, de roupas e de eletrônicos em solo africano. Os africanos de vários países diferentes não aguentam mais tamanha violência, que, entre outras coisas, se constitui numa das mais cruéis e estratégicas formas de invasão e de envenenamento sistemático das riquezas naturais e das populações africanas. 

Uma das melhores matérias feitas sobre isso foi pelo Intercept (em inglês), cujo link eu vou colocar abaixo. Mas, existe uma outra só sobre eletrônicos feita pela BBC, em português, que eu também vou linkar aqui. 

Toda vez que você pensar em desviar a atenção dos crimes de guerra cometidos por Vladimir Putin, citando os EUA, lembre-se que você faz parte da engrenagem de destruição destes últimos e deixe de ser hipócrita. Você provavelmente nunca deixou de comprar o que eles vendem e muito mais provavelmente ainda nunca os pressionou a mudar o modo como obtém a matéria-prima dos seus produtinhos favoritos em solo estrangeiro e como descartam o lixo gerado por essa cadeia de produção e consumo quando já não servem ao propósito de aumentar o seu idolatrado capital. 

A César o que é de César - Putin fora da Ucrânia e julgado por crimes de guerra; os EUA e a Europa pressionados a mudar suas políticas de produção e descarte que causam mais dano do que muitas guerras recentes.

E você, viúva nostálgica de ditadores assassinos, vai aprender o que significa a ética de fazer aos outros o que você espera que eles façam a você. Ela não é religiosa, diga-se de passagem. Foi apenas apropriada por alguns monges escritores que a colocaram na boca de um dos maiores ícones da cultura pop de todos os tempos.


#putinnacadeia

#PutinIsaWarCriminal

#putincriminosodeguerra


LINKS:


BBC: 

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160109_lixao_eletronicos_ab

The Intercept:

https://theintercept.com/2020/04/19/africa-plastic-waste-kenya-ethiopia/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia

Humorista 'Picolina' é encontrada morta dentro de casa em Fortaleza