Postagem em destaque

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SEXODIVERSIDADE

Imagem
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SEXODIVERSIDADE Por Sergio Viula Fundada por Charles Taze Russell em XXXXX, a religião conhecida como Testemunhas de Jeová é uma das mais totalitárias do mundo. Confundida por muitos com as igrejas evangélicas, a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, ligada ao Corpo Governante contava com mais de oito milhões e duzentos mil membros. No Brasil, são pouco mais que 700 mil seguidores e 11.562 Salões do Reino das Testemunhas de Jeová (seus templos) no mundo todo. Esses números são de 2014, ultima contagem publicada até o momento desse artigo. Entre suas crenças mais conhecidas e repudiadas estão a de não doar e nem receber sangue sob hipótese alguma e a de não participar da vida cívica do país em que estejam inseridas. Porem, muitas outras crenças são estranhas à maioria das comunidades ditas cristãs. As Testemunhas de Jeová não se consideram ‘evangélicas’ quando termo é aplicado a igrejas protestantes mais recentes e pentecostais, mas gostam de se denomina

Garoto morto cura garoto vivo?



Por Sergio Viula




Carlos Acutis - beatificado em 10/10/20 na Basílica de São Francisco
com transmissão ao vivo pela Rádio Vaticano/Vatican News




Morto há 14 anos por leucemia, agora diz-se que ele cura os doentes.

Beato adolescente, ele pode vir a se tornar padroeiro da Internet. 

Para virar santo reconhecido universalmente, é preciso um segundo milagre.

Carlo Acutis é o novo trunfo da cúria.

Apesar da cura inexplicada de um garoto brasileiro significar apenas que não temos conhecimento suficiente para entender o que aconteceu (ainda!!!), a Igreja Católica atribui o ocorrido a um milagre operado por esse adolescente morto há 14 anos. 

Porém, dizer que a cura ainda não foi devidamente explicada é uma coisa. Dizer que um adolescente morto por leucemia curou esse garoto no Brasil é outra bem diferente, e daí vai um abismo maior que a malandragem dos que ganham rios de dinheiro às custas da credulidade dos desesperados.

Comentários

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Eduardo Peret: Homenagem a um amigo que bateu asas e deixou saudades

Bebê a bordo: Diário de um avô colorido 👴🏳️‍🌈