Postagem em destaque

Paula, uma pessoa intersexo

Imagem
  Por Sergio Viula Decidi resgatar uma experiência que eu tive em 12/02/2103, na cidade de Fortaleza, CE.  Essa experiência de troca humana fantástica aconteceu na Praia do Futuro, que é pontilhada por barracas em estilo de choupanas. Tomei uns belos  drinks  (lembram?) e comi muqueca de arraia com um acompanhamento de arroz, maionese, batata frita e farofa - tudo simples, mas super gostosinho. O melhor de tudo porém, foi ter conhecido Paula.  Assim que cheguei, percebi que Paula era uma mulher especial, apesar de todas as mulheres terem algo de especial por natureza. Mas, Paula chamava atenção por ter alguns traços masculinos. De início, pensei que ela fosse uma mulher transexual em processo de feminização. Decidi seguir o caminho mais seguro para descobrir como ela se identificava - perguntei qual era o seu nome. Assim, ela poderia indicar se preferia ser tratada no feminino, como eu imaginava. Ela me disse que se chamava Paula.  Acontece que Paula  não  é transexual. De forma absolu

Finados: Portal Homofobia Mata abre seu banco de dados (via Eduardo Michels)

 

Nota: Essa postagem foi feita pela primeira vez em 02 de novembro de 2019, porém, ddevido a um problema que estava impedindo seu aparecimento nas buscas do Google, eu decidi eliminar a anterior e fazer essa nova. Agora, qualquer pessoa poderá achá-la nas buscas. A postagem é a mesma, mas vale a pena dar uma olhada se você não viu ainda, especialmente na entrevita lá no vídeo lá embaixo.


Via Eduardo Michels, pesquisador




Neste Dia de Finados dedicamos o nosso reconhecimento às pessoas queridas que se foram de forma tão cruel, que estão em nossas memórias permanentemente a guardar todo o nosso amor na saudade daqueles que amamos e de quem nunca esqueceremos!

LGBT+ MORTOS NO BRASIL – 2011/2018
Os crimes de ódio, também chamados de crimes motivados pelo preconceito, são crimes cometidos quando o criminoso seleciona intencionalmente a sua vítima em função de esta pertencer a um certo grupo.

Homofobia no Brasil ainda é um problema presente e constante, havendo estatísticas compiladas pelo site Homofobia Mata que sugerem que o Brasil é o país com a maior quantidade de registros de crimes homofóbicos do mundo, seguido pelo México e pelos Estados Unidos.

De acordo com o site, um homossexual é morto a cada 28 horas no país por conta da homofobia (assassinatos e suicídios) e cerca de 70% dos casos dos assassinatos de pessoas LGBT ficam impunes. O país teve mais de 2.700 assassinatos homofóbicos ou transfóbicos entre 2011 a 2018, e desde 2008 concentra quase metade do total de homicídios de transexuais do mundo, de acordo com o relatório da organização europeia Transgender Europe.


CONFIRA: https://homofobiamata.wordpress.com/inicio/

Eduardo Michels foi pesquisador do GGB por oito anos. O site Homofobia Mata, agora chamado HomoTransfobia Mata, foi criado por ele, bem como toda uma nova maneira de pesquisar e de publicar os casos de homofobia e transfobia letal no Brasil. 

Para saber mais, assista uma entrevista feita com o autor das pesquisas em seu período mais elaborado acesse esse vídeo no meu drive: 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia

Dia Internacional do Orgulho LGBT: Importantes apontamentos