Postagem em destaque

Alguns equívocos do Moses

Imagem
Este post tem por objetivo refletir sobre algumas declarações de João Luiz Santolin, presidente do Moses, durante um seminário promovido pelo Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM) em parceria com o Instituto de Estudos da Religião (ISER), conforme publicado no livro "Religião e Sexualidade: Convicções e Responsabilidades, organizado por Emerson Giumbelli, publicado pela Editora Garamond, 2005 (ISBN 8576170604, 9788576170600). De acordo com Santolin, o Moses foi fundado em 1997. Ele está certo. Ele só não disse que isso aconteceu durante a Parada Gay celebrada no Rio de Janeiro, no referido ano. Também não disse que éramos três: Santolin, Liane França e eu (quem tiver dúvida, consulte o jornal O Globo, publicado no dia seguinte ao da passeata, pois nossos nomes estão lá no último parágrafo da matéria de cobertura da Parada Gay). Obviamente, ele não disse, devido ao constrangimento causado pela entrevista que dei em novembro de 2004 à revista Época, na qu

Jacarezei hoje! kkkkkkkkkk



 Por Sergio Viula


Tomei a vacina contra a Covid-19 hoje, 24 de maio de 2021, pouco antes das 9h da manhã. São quatro horas da tarde agora. Nenhuma reação, exceto a de alegria. 


Gratidão? 

Somente aos profissionais de saúde, cientistas, institutos especializados em imulogia humana, laboratórios farmacêuticos que apostaram no trabalho científico, etc. 


E os governos? 

Meu desprezo ao genocida no Planalto que fez de tudo para impedir a vacinação e continua sabotando as medidas de proteção. Se estou sendo vacinado em maio em vez de janeiro ou fevereiro, é justamente por causa daquele jumento de faixa.


Falando de coisas boas

Agora, falando de coisas boas. Tomei a Astrazênica e volto no dia 16 de agosto para a segunda dose. Se tinha muita gente? Umas 15 pessoas na minha frente, mas o atendimento foi rápido e gentil numa das muitas Clínicas da Família criadas na primeira gestão de Eduardo Paes, e posteriormente sucateadas por Crivella (aquele diabo!), só que agora revitalizadas pelo mesmo Eduardo Paes que as havia criado. Aliás, uma ideia excelente, desde que funcione. E assim como funcionava bem na primeira e segunda gestões de Eduardo Paes, volta a funcionar agora.


Só tenho elogios ao prefeito?

Não. Acho que ele foi muito lento na busca por soluções que agilizassem a vacinação, mas fez mais do que muitos outros. Entretanto, perde para os prefeitos de Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e João Pessoa - só para citar alguns - no quesito calendário da vacinação. 


Medo de reação?

Há quem ainda tenha medo de tomar a vacina por causa de alguma reação. A tia aqui só tem duas coisas a dizer:


1. Pegar o vírus é pior do que ter um pouco de febre, dor no corpo, ou apenas dor de cabeça por um dia ou dois dias.


2. Você enche o rabo de cachaça, tem um monte de reações (até vômito e dor no estômago), mas não deixa de beber. 


Deixa de ser tonto, vai lá e toma essa vacina, k-raleo!


E antes de terminar, só mais uma coisa:


#FORABOLSONARO



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A homossexualidade no Egito antigo

Zeus e Ganimedes: A paixão entre um deus e um príncipe de Tróia

Humorista 'Picolina' é encontrada morta dentro de casa em Fortaleza